Nove corretoras indicam ações para junho

Adriana Aguilar      07/06/2013

O Ibovespa encerrou o mês de maio no negativo. Para junho, a situação do mercado doméstico segue preocupante e sem indícios de melhora para a bolsa brasileira no curto prazo. Neste cenário, nove corretoras recomendaram ações para os investidores que aplicam em ações. Os papéis Itaú PN, Vale PNA, Petrobras PN, Anhanguera ON, Gerdau PN estão entre os mais indicados.

“A bolsa brasileira está de fato descontada em relação às demais. Ainda é cedo para vislumbrar um potencial fluxo sólido de capital no mês de junho. A inflação e crescimento não parecem fazer sentido, os resultados corporativos foram insatisfatórios e a intervenção governamental ainda afasta os investidores estrangeiros”, consta no relatório divulgado pela Ativa Corretora. “Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) vieram aquém do consenso de mercado”, segundo o relatório da BB Investimentos.

Diante do cenário complexo, a Bradesco Corretora revisou a expectativa para o índice da bolsa brasileira (Ibovespa), em 62.000 até o final do ano. “Os fatores internos serão os mais determinantes para o rumo do Ibovespa”, consta no relatório da Coinvalores Corretora.

Na primeira semana de junho, a agência de risco Standard & Poor’s (S&P), que projetava expansão de 2,5% no PIB do Brasil em 2013, revisou a perspectiva do rating soberano do Brasil em moeda estrangeira de “estável” para “negativa, após a divulgação do fraco crescimento. A perspectiva do rating ainda pode voltar a ser revisado para “estável”, caso iniciativas mais consistentes gerem maior crescimento. Atualmente, a nota da S&P de longo prazo atribuída ao país é “BBB”, considerada grau de investimento.



Carteiras anteriores:

10 corretoras indicam ações para maio de 2013

10 corretoras indicam ações para abril de 2013

Corretoras indicam ações para março de 2013

Corretoras indicam ações para fevereiro de 2013

Corretoras indicam ações para janeiro de 2012

 

 

Março – 2013

Adriana Aguilar      01/04/2013



 

 

Corretoras indicam ações para fevereiro de 2013

Adriana Aguilar      14/02/2013



Carteiras anteriores:

Corretoras indicam ações para janeiro de 2012

Corretoras indicam ações para dezembro de 2012

 

 

Dezembro – 2012

Adriana Aguilar      12/12/2012



 

 

Corretoras indicam ações para setembro de 2012

Adriana Aguilar      17/09/2012

Carteiras anteriores:

Corretoras indicam ações para agosto de 2012

Corretoras indicam ações para julho de 2012

Corretoras indicam ações para junho

Corretoras indicam ações para maio

Corretoras indicam ações para abril de 2012

Corretoras indicam ações para março de 2012

Corretoras indicam ações para fevereiro de 2012

Corretoras indicam ações para janeiro de 2012

 

 

Corretoras indicam ações para dezembro de 2011

Adriana Aguilar      11/12/2011



 

 

Maio – 2011

Adriana Aguilar      10/05/2011



 

 

Abril – 2011

Adriana Aguilar      07/04/2011



 

 

Fevereiro – 2011

Adriana Aguilar      08/02/2011



 

 

Bons pagadores de boletos investem em ações

Adriana Aguilar      30/11/2010

Tirar um percentual do salário, todo mês, para depositá-lo em alguma aplicação financeira. Isso é um investimento programado. No entanto, muitos não conseguem, por conta própria, fazer a aplicação mensal. O estímulo veio com os boletos das corretoras. Não se trata de boleto de cobrança. O boleto (com data e valor de pagamento) é uma forma de lembrar a pessoa do compromisso com o futuro dela.

“Alguns são bons pagadores de boletos. Colocam os boletos no débito automático do banco e não se preocupam mais. É um meio forçado da pessoa programar seu próprio investimento”, explica o economista e chefe de análise da corretora Souza Barros, Clodoir Vieira.

A corretora Souza Barros começou a enviar os boletos aos clientes no começo de novembro de 2010. Os clientes podem optar por depósitos mensais de R$ 250,00, R$ 500,00 e R$ 1 mil. “Inicialmente, o dinheiro é investido em títulos públicos por meio do Tesouro Direto para o início de patrimônio. Alcançando o montante de cerca de R$ 3 mil, os recursos seguem para renda variável, com continuidade dos depósitos mensais pelo cliente”, diz Clodoir Vieira.

No Banco Geração Futuro de Investimentos, o boleto tem sido um sucesso para aplicações no longo prazo. De 8% a 10% do total de clientes da corretora investem via boleto.

Quando lançou o “Clube de Investimento Programado 1”, no ano 2000, a Geração Futuro aceitava apenas TED ou DOC para as aplicações no clube, a partir de R$ 100,00. “Fizemos questão de incluir a palavra: “programado” no nome do clube, com a intenção de estimular a disciplina da aplicação mensal, contínua e de longo prazo. É uma forma de minimizar as oscilações que podem ocorrer no mercado”, explica a superintendente comercial do Banco Geração Futuro de Investimentos, Ana Clara Monteiro Rodrigues.

Veio então a idéia do boleto em 2006. Os clientes solicitavam e os consultores enviavam o boleto por e-mail. Mais tarde, uma nova tecnologia implementada permitiu que os próprios clientes gerassem os boletos por meio do site, em 2007.

“O boleto é mais uma alternativa ao cliente interessado em fundos de Investimento com a facilidade de pagamento em qualquer agencia bancária ou pela internet. A função principal é ajudá-lo a não esquecer o investimento de forma programada. Não há a obrigatoriedade de pagamento. O cliente pode gerar o boleto e, por um determinado motivo, não pagá-lo”, diz Ana Clara Monteiro Rodrigues.

No Banco Geração Futuro, cada cliente escolhe a periodicidade do investimento, podendo ser mensal, trimestral, semestral, por exemplo. Ele também escolhe o valor a ser aplicado, conforme a disponibilidade dele no mês. Os valores podem mudar de um mês para o outro, desde que sejam a partir de R$ 100,00.

“Nós temos clientes que pedem para enviarmos o boleto todo mês em um determinado dia e outros que preferem gerar direto via site da Geração Futuro. Alguns clientes pedem para enviarmos 12 boletos para eles se programarem durante o ano”, afirma a superintendente comercial do banco.

O investimento por meio do boleto vai para a aplicação escolhida pelo cliente. Pode ser o Fundo Programado, Fundo Meninas Iradas, Fundo Dividendos, Fundo Seleção, entre outros. O boleto não inclui taxa de administração, apenas é cobrada a tarifa de R$ 1,70 do boleto bancário na Geração Futuro, acrescida ao valor da aplicação. Se o cliente pedir um boleto de R$1.000,00, ele receberá um boleto de R$ 1.001,70, por exemplo.

Saiba mais:

Troque sua posição de “devedor dos financiamentos” para investidor

Como aumentar o 13º salário

Despesas com carro ultrapassam R$ 15 mil ao ano

190 mil investidores compram títulos do Governo

Maioria guarda dinheiro na caderneta de poupança

Repetir “poupe seu dinheiro” não surte efeito!

Os dez erros cometidos no controle do orçamento

Previdência Social: fonte insuficiente para sua aposentadoria

O que rende mais: poupança ou fundo DI?

Por que as pessoas evitam atrasar a prestação da casa própria?

Aulas de educação financeira nas escolas públicas

Os 10 mandamentos do bilionário investidor brasileiro

Quais as 12 ações que fazem parte da carteira do investidor Lírio Parisotto?

As 10 lições de Warren Buffett

Onde estão aplicados os US$ 55 bilhões de Buffett

Quem acumulou R$ 1 milhão nos últimos 12 anos?

 

 

|