13º salário é usado para o pagamento de dívidas

Adriana Aguilar      26/11/2013

Pelo terceiro ano consecutivo, uma fatia maior do 13º salário seguirá para o pagamento de dívidas. É o que mostra a pesquisa realizada pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Em 2013, o percentual de 62% do 13º salário vai quitar dívidas, ante 60% em 2011. Foram entrevistados 612 consumidores, de todas as classes sociais, para a pesquisa. O objetivo do trabalho foi mostrar o destino do 13º salário, pago no dia 30 de novembro (1ª parcela) e 20 de dezembro (2ª parcela).

Uma conclusão da pesquisa é que a redução da atividade econômica e a escalada da inflação elevaram o endividamento dos consumidores. Menos pessoas pretendem usar o 13º salário para a compra de presentes.

“Há mais dificuldades e preocupações dos consumidores com os gastos neste ano”, explica o diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira, também coordenador da pesquisa. Nos últimos três anos, o percentual de pessoas que desejam poupar os recursos do 13º salário tem se mantido estável (12%).

“Grande parte dos consumidores (77%) tem dívidas contraídas no cheque especial e no cartão de crédito e pretende usar o 13º salário para regularizar a situação. Houve uma redução de 14,29% na quantidade de consumidores que possuíam dívidas com prestações do comércio em atraso”, explica Miguel José Ribeiro de Oliveira.

Há três anos, o cartão de crédito é a linha de crédito com maior peso na composição das dívidas dos consumidores. Em 2013, o cartão de crédito foi responsável por 41% das principais dívidas em aberto que serão liquidadas com o 13º salário. Em 2012, o cartão de crédito representou 40% das dívidas e em 2011, a fatia de 39%. Em segundo lugar, está o cheque especial, representando 36% das dívidas que serão quitadas com o 13º salário em 2013.

Boa parte dos consumidores entrevistados (78%) pretende pagar as compras de final do ano com os recursos próprios recebidos do 13º salário, à vista, por meio de cheque ou cartão de débito. A outra parte da conta seria paga por meio de financiamentos bancários ou do próprio comércio. No entanto, a maioria usará o cartão de crédito (81%) como forma de pagamento das contas.

A pesquisa sinaliza uma tendência de redução de compras de brinquedos, ao longo de três anos, em função das mudanças de hábitos de consumo. As pessoas estão preferindo, cada vez mais, produtos eletrônicos e celulares. Na pesquisa de 2013, a fatia de 74% dos entrevistados pretende comprar celulares com recursos do 13º salário e de financiamento. Somente 53º tem a intenção de comprar brinquedos com o 13º salário.

Saiba mais:

Aumentam os juros das linhas de crédito para pessoa física

Consumidor ignora taxa e imposto ao usar cartão de crédito

 

Envie por e-mail

 

Deixe um comentário