Aumentam os juros das linhas de crédito para pessoa física

Adriana Aguilar      16/09/2013

A elevação da taxa básica de juros (SELIC), de 8,50% ao ano para 9,00% ao ano, resultou em aumento das taxas de juros das operações de crédito (veja a tabela) para pessoa física, segundo estudo da Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade.

Segundo a Anefac, com a alta da Selic para 9,00% ao ano, das seis linhas de crédito pesquisadas pela associação, uma se manteve estável (cartão de crédito-rotativo) e cinco foram elevadas (juros do comércio, cheque especial, CDC-Bancos-financiamento de automóveis, empréstimo pessoal-bancos e empréstimo pessoal de financeiras).

“Com os atuais indicadores de inflação mostrando pressões inflacionárias, aliado ao fato do índice oficial de inflação estar bem acima do centro da meta do Banco Central, deve haver nova elevação da taxa básica de juros (Selic). Neste cenário, é provável que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses, explica o diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira.

Mesmo com a elevação da taxa básica de juros (Selic) de 8,50% ao ano para 9,00% ao ano, o rendimento da caderneta de poupança continua interessante se comparado ao dos fundos de renda fixa.

Somente na Caixa Econômica Federal, que mantém a liderança nos recursos depositados na poupança, com fatia de 35,31% do mercado, a captação líquida da poupança da Caixa nos primeiros oito meses de 2013 já superou R$14,6 bilhões, número 40% superior à acumulada em igual período de 2012.

Hoje, a caderneta de poupança tem seu ganho garantido por lei – Taxa Referencial (TR) acrescida de 6,17% ao ano –, sem sofrer qualquer tributação, diferentemente dos fundos de renda fixa que possuem tributação do imposto de renda sobre os rendimentos. Quanto menor for o prazo de resgate do dinheiro do fundo, maior será o percentual de tributação. Nos recursos depositados nos fundos, também há a cobrança da taxa de administração.

A caderneta de poupança só perderá para os fundos de renda fixa, independente do prazo de resgate, quando a taxa de administração cobrada pelos bancos estiver abaixo de 0,50% ao ano. Isso ocorrer em aplicações com valores superiores a R$ 50 mil.

Considerando todas as reduções e elevações da taxa básica de juros (Selic), promovidas pelo Banco Central desde julho de 2011 até agosto de 2013, a Selic passou de 12,50% para 9,00%, ou seja, redução da taxa em 3,50 pontos percentuais.

No mesmo período, entre julho de 2011 a agosto de 2013, a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma redução de 30,87 pontos percentuais, passando de 121,21% ao ano em julho de 2011 para 90,34% ao ano em agosto de 2013.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica, houve uma redução de 15,77 pontos percentuais, com a taxa variando de 61,03% ao ano em julho de 2011 para 45,26% ao ano em agosto de 2013.

Saiba mais:

Consumidor ignora taxa e imposto ao usar cartão de crédito

Idosos são maioria entre inadimplentes

Aumenta a inadimplência entre idosos com empréstimos

Sem reservas, idosos sofrem com exaustão financeira

 

Envie por e-mail

 

1 comentário para “Aumentam os juros das linhas de crédito para pessoa física”

 

muebles para hosteleria comenta:

13/10/2013 às 9:52

Me ha encantado vuestro articulo y me ha sabido a poco pero ya sabeis lo que dice el dicho “si lo bueno es breve es dos veces bueno”. Me gustara volver a leeros de nuevo.
Saludos

muebles para hosteleria

 

Deixe um comentário