Ranking de preocupações: plano de saúde e, na seqüência, previdência

Adriana Aguilar      03/02/2011

Em pesquisa interna, o Banco Santander consultou mais de 1 mil pessoas, de diferentes classes sociais, sobre os investimentos que estavam planejando no segundo semestre de 2010. “Quando perguntamos aos clientes onde eles têm interesse de investir nos próximos 12 meses, os planos de previdência privada oscilam entre o 1º ou 2º lugar no ranking de respostas. “Em 2009, as pessoas não falavam espontaneamente sobre previdência privada”, explica o superintendente executivo de previdência do Santander, Alessandro Andrade.

No Brasil, os planos de previdência privados estão presentes em apenas 14% dos domicílios das faixas sociais A, B e C, penetração considerada baixa, se comparada a dos planos de saúde, contratados por 90% dos domicílios nos mesmos segmentos sociais.

O levantamento foi divulgado pela empresa de pesquisa Kantar Worldpanel no segundo semestre de 2010, constatando a intenção de 44% dos domicílios do País em poupar para a previdência privada. Para a pesquisa, 8,2 mil foram domicílios acompanhados semanalmente em todo o país. A amostra representa 81% da população domiciliar brasileira e 91% do potencial de consumo residencial do país.

Há o total de 65,56 milhões de domicílios no Brasil, somando190,73 milhões de habitantes, segundo dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O grande desafio das empresas do setor de previdência é fazer com que mais famílias iniciem a poupança para o futuro, com a mesma preocupação de um plano de saúde.

“As pessoas sempre deixam o início da poupança de longo prazo para depois. O processo é mais lento. No caso do plano de saúde, o risco de uma doença, hoje ou amanhã, impõe a imediata adesão. Já os riscos da ausência de um plano de previdência privado não são notados. Poucos enxergam que, lá na frente, o plano de previdência poderá ser a fonte de recursos para o pagamento do plano de saúde”, explica o vice-presidente da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi), Renato Russo.

São cerca de 12 milhões de contratos de planos previdenciários. O mercado tem potencial para chegar aos 40 milhões de pessoas com planos, principalmente, na classe C, na mira das seguradoras, diz Renato Russo.

Na faixa C, composta por famílias com renda mensal entre 4 e 10 salários mínimos, 4% dos domicílios contam com plano de previdência entre os produtos financeiros contratados. Nas faixas D e E, com famílias de renda entre 1 e 4 salários mínimos, o índice é de 1%, segundo dados da pesquisa, divulgados pela Fenaprevi.

No acumulado de janeiro a outubro de 2010, 84% do volume de recursos arrecadados pela previdência complementar aberta vieram de planos individuais. Apenas 12%, são oriundos de planos empresariais e outros 3% de planos para menores.

Saiba mais:

Pesquise o menor imposto na previdência privada

Bons pagadores de boletos investem em ações

Troque sua posição de “devedor dos financiamentos” para investidor

Como aumentar o 13º salário

Despesas com carro ultrapassam R$ 15 mil ao ano

190 mil investidores compram títulos do Governo

Maioria guarda dinheiro na caderneta de poupança

Repetir “poupe seu dinheiro” não surte efeito!

Os dez erros cometidos no controle do orçamento

Previdência Social: fonte insuficiente para sua aposentadoria

O que rende mais: poupança ou fundo DI?

Por que as pessoas evitam atrasar a prestação da casa própria?

Aulas de educação financeira nas escolas públicas

Os 10 mandamentos do bilionário investidor brasileiro

Quais as 12 ações que fazem parte da carteira do investidor Lírio Parisotto?

As 10 lições de Warren Buffett

Onde estão aplicados os US$ 55 bilhões de Buffett

Quem acumulou R$ 1 milhão nos últimos 12 anos?

 

Envie por e-mail

 

1 comentário para “Ranking de preocupações: plano de saúde e, na seqüência, previdência”

 

Convenio medico comenta:

06/05/2011 às 10:32

por isso é bom ter plano de saude hoje é muito importante pois, você tem muitos beneficios e o atendimento ao cliente é melhor que os hospitais públicos a equipe de medicos são mais qualificados.

Danilo Santos

 

Deixe um comentário