Corretoras indicam ações para janeiro/15

Adriana Aguilar      02/03/2015

jan15-parte1
jan15-parte2
jan15-parte3

 

 

Metade dos brasileiros deixou de quitar dívidas no prazo e tem restrições no CPF

Adriana Aguilar      15/01/2015

O SPC Brasil estima que aproximadamente 54,5 milhões de consumidores terminaram o ano de 2014 com restrições no CPF por não terem quitado dívidas.

SPC_Brasil_evolução_inadimplência_2014

Segundo os economistas, embora os dados de menor crescimento na comparação anual sejam interpretados aparentemente como números positivos, o crescimento da inadimplência num menor ritmo tem como causa principal a baixa atividade econômica do país e a maior seletividade na concessão de crédito.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os bancos e os estabelecimentos comerciais passaram a conceder menos crédito, fato que tem como consequência a redução dos riscos de calotes nas compras parceladas. “As vendas de itens essencialmente ligados a crédito, como móveis e eletrodomésticos, veículos e materiais de construção têm apresentado franca desaceleração, desde o início de 2013″, afirma a economista.

 

 

Corretoras indicam ações para dezembro/14

Adriana Aguilar      15/01/2015

dez14-parte1
dez14-parte2
dez14-parte3

 

 

Fundos de pensão buscam mais participantes

Adriana Aguilar      12/01/2015

As entidades fechadas de previdência complementar, que contam atualmente com 2,4 milhões de participantes, podem adicionar de imediato mais 900 mil pessoas ao sistema e, no médio prazo, têm potencial para chegar a 7,5 milhões de participantes, segundo o presidente da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrap), José Ribeiro Pena Neto.

A Abrapp prevê que o número de participantes ativos crescerá de maneira constante nos próximos anos, chegando a 2,65 milhões em 2016 e somando 3,38 milhões em 2020. No longo prazo, José Ribeiro Pena Neto estima que o setor contará com 17,31 milhões de participantes em 2035.

A conquista imediata de 900 mil pessoas deve-se à realização de campanhas internas, principalmente nas entidades fechadas de previdência complementar, que têm percentual de adesão próximo a 65%. Esse potencial, segundo Pena, é de 88% nas entidades de patrocínio público.

Para o médio prazo, o presidente da Abrapp enxerga potencial principalmente nos 6.500 sindicatos e 16.000 cooperativas que contam com 30 milhões de associados.

“O total de ativos nas entidades fechadas está atualmente na casa de R$ 700 bilhões e o potencial de crescimento real é de 7,7% ao ano, chegando a R$ 3,4 trilhões até 2035. Dessa forma, o tamanho desses ativos no PIB brasileiro dará um salto dos atuais 13,8% para 40% no período”.

 

 

Corretoras indicam ação para novembro/2014

Adriana Aguilar      14/11/2014

nov14-parte1
nov14-parte2
nov14-parte3

 

 

« Textos anteriores |